Em Destaque

Tratamento Laparoscópico da Litíase da Via Biliar Principal

A definição do “gold standard” no tratamento da litíase da Via Biliar Principal (LVBP) na era da cirurgia laparoscópica, persiste como objecto de controvérsia.

As opiniões variam entre o tratamento em dois tempos, envolvendo endoscopia prévia ou posterior à cirurgia, e o tratamento minimamente invasivo num só tempo, por abordagem laparoscópica simultânea da litíase vesicular e da VBP.

O tratamento num só tempo, parece ser eficaz e seguro, mas mais económico, com uma redução significativa do tempo de internamento, para além de evitar as consequências da esfincterotomia endoscópica, a longo prazo.

As opções cirúrgicas laparoscópicas são a exploração e extracção dos cálculos através do cístico ou por abertura da VBP (coledocotomia). A primeira é tecnicamente mais simples, e, quando possível, apresenta uma taxa de sucesso vizinha dos 90%. Está indicada para cálculos de pequenas dimensões (até 8 mm), que possam ser extraídos por via trans-cística e que estejam localizados abaixo da junção cístico-coledócica.

A coledocotomia laparoscópica é igualmente eficaz, mas ao contrário da via trans-cística, é tecnicamente mais exigente e mais susceptível de complicações, apresentando assim uma vantagem menos acentuada sobre a associação endoscopia/cirurgia.

A UHBPE inciou e tem vindo a desenvolver as técnicas para o tratamento laparoscópico da litíase da VBP num só tempo, que, actualmente, constitui a nossa opção preferencial para o tratamento dos doentes com litíase vesicular e da VBP. Para isso, dispomos dos equipamentos intra-operatórios necessários à sua realização, nomeadamente radiologia, ecografia e endoscopia intra-operatória das vias biliares e de salas apetrechadas para este tipo de cirurgia. Em caso de impossibilidade de realização ou de insucesso, mantêm-se disponíveis as técnicas endoscópicas (CPRE), que podem ser efectuadas antes ou depois da intervenção cirúrgica.

[ fechar esta janela ]